bemestarmed.com.br A vacina HIB tem reforço aos 12 e 18 meses não fornecido pelo SUS | Bem Estar Medicina e Saúde

Nosso Blog

Acompanhe as notícias sobre medicina e dicas de saúde para viver em bem estar.

A vacina HIB tem reforço aos 12 e 18 meses não fornecido pelo SUS

A vacina HIB  tem reforço aos 12 e 18 meses não fornecido pelo SUS

Haemophilus influenzae tipo b (Hib) é uma bactéria que atinge principalmente crianças de até 5 anos, causando infecções que começam geralmente no nariz e na garganta, mas podem espalhar-se para outras partes do corpo. Esta bactéria pode causar diferentes doenças infecciosas como pneumonia, otites, infecções generalizadas na corrente sanguínea (sepse), pericardite (infecção no coração), inflamação das articulações, infecção na epiglote (região da garganta e a meningite; uma das piores doenças causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b.

A meningite mesmo com tratamento adequado, pode ser fatal ou deixar sequelas como retardo mental, surdez ou paralisia. O Haemophilus influenzae tipo b é a causa mais frequente de meningite bacteriana e a causa mais importante de doenças bacterianas em crianças em todo o mundo.

A vacina conjugada contra o Haemophilus influenzae tipo b está disponível desde 1993 e tem eficácia de 95% a 100% após o esquema vacinal completo. Trata-se de vacina inativada, portanto, não tem como causar a doença. Pode ser encontrada isolada (geralmente em clínicas privadas) ou combinada com a vacina tríplice bacteriana.

Apresentações:
Vacina Simples: Haemofilus Influenzae b
Vacinas Combinadas: Tetra Hib: Tríplice bacteriana acelular (DTPa) + Hib
Penta (postos de saúde): Triplice bacteriana com células inteiras (DTPw) + Hib + Hepatite B
Penta (privada): Tríplice Bacteriana acelular (DTPa) + Hib + Pólio injetável
Hexa: Tríplice Bacteriana acelular (DTPa) + Hib + Pólio injetável + Hepatite B

Está indicada em:

  • Crianças a partir de 2 meses até 5 anos de idade.
  • Crianças com mais de 5 anos, adolescentes e adultos com condições médicas que aumentam o risco para doenças por Hib: ausência de baço ou disfunção nesse órgão; antes e/ou após transplante de órgão ou medula óssea; após quimioterapia; e outras condições especiais que afetam a imunidade.

O Programa Nacional de Imunizações (PNI) recomenda e disponibiliza a vacina em três doses: aos 2, 4 e 6 meses de idade. As sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam uma quarta dose entre 12 e 18 meses, em especial para crianças vacinadas com a vacina associada a DTPa. Os postos de saúde disponibilizam apenas 3 doses.

Crianças com mais de 5 anos, adolescentes e adultos não vacinados e com doenças que aumentem o risco da doença: duas doses com intervalo de dois meses.

A vacina é contraindicada, tanto para a vacina simples quanto para as vacinas combinadas, em pessoas com alergia grave (anafilaxia) a um dos componentes da vacina.

Não são necessários cuidados especiais antes da vacinação, em caso de febre, deve-se adiar a vacinação até que ocorra a melhora.

São raros e geralmente locais os eventos adversos. Podem ocorrer nas 24/48 horas seguintes à aplicação.

Reações locais como dor, inchaço e vermelhidão são as manifestações mais comuns, melhorando significativamente com uso de analgésicos.

Podem ocorrer reações adversas leves do tipo anorexia, febre, vermelhidão e dor no local da injeção. Irritabilidade e letargia também foram relatadas. Com incidência menos frequente observam-se febre acima de 39ºC (com resolução num período de 48 horas), vômitos, diarreia, além de edema ou sensação de calor no local da injeção. Urticária, erupção na pele e choro são efeitos incomuns. A queda na contagem das plaquetas circulantes (trombocitopenia) transitória, a ocorrência de convulsões ou reação anafilática são eventos muito raros.

  • Pode ocorrer dor no local da aplicação em 3% a 29% dos vacinados; e inchaço, endurecimento e vermelhidão em 0,2% a 17% deles.
  • Em relação às manifestações gerais, a febre nas primeiras 24 horas após a vacinação é relatada por 1% a 6% dos vacinados; cansaço, tontura, dor de cabeça, irritabilidade e desconforto gastrintestinal leve podem aparecer em 1% a 20% dos vacinados.
  • Um a cada 600 mil vacinados apresenta alergia a algum componente da vacina, sobretudo ao timerosal (derivado do mercúrio), sendo mais raro em crianças maiores de 5 anos e adolescentes. Na vacina disponível na rede pública há timerosal. As apresentações multidose contêm fenol.

Dra. Franciele Norma Minotto
Ginecologia, Obstetrícia e Sexologia
Diretora Técnica da Bem Estar Medicina e Saúde
CRM/MT 5962

Bem-Estar-Logotipo-em-PNG_Assinatura

Deixe uma resposta