bemestarmed.com.br Planejamento familiar | Bem Estar Medicina e Saúde

Todas as publicações Planejamento familiar

Crianças entre 4 a 6 anos devem receber reforço de DTPa + Polio

Crianças entre 4 a 6 anos devem receber reforço de DTPa + Polio

A vacina DTPa+IPV (polio) contém os toxoides diftérico e tetânico (derivados das toxinas produzidas pelas bactérias causadoras das doenças), componentes da cápsula da bactéria da coqueluche (Bordetella pertussis) e vírus da poliomielite inativados (mortos) tipos 1, 2 e 3.

Está indicada:

  • Para crianças a partir de 4 anos de idade, adolescentes e adultos, para os reforços de seus esquemas de vacinação.
  • Pode substituir as formulações infantis da vacina tríplice bacteriana (DTPa e suas combinações) no reforço de 4 a 6 anos de idade
  • Para adolescentes e adultos, pode substituir a vacina dTpa e é a alternativa para viajantes com destinos às áreas de risco para poliomielite (Paquistão e Afeganistão ainda tem casos de transmissão do vírus)
  • Para gestantes, pode substituir a dTpa na indisponibilidade desta vacina ou quando se trata de gestante viajante para área de risco para a poliomielite  (Paquistão e Afeganistão)

Está contraindicada para pessoas que apresentaram anafilaxia após uso de componentes da vacina em dose anterior.

Pode substituir qualquer dose de dTPa. Em caso de viagens a locais de risco para a poliomielite (atualmente somente Paquistão e Afeganistão), pode ser aplicada mesmo em pessoas que estejam em dia com a dTpa.

Não são necessários cuidados especiais antes da vacinação; em caso de doença aguda com febre alta (acima de 37,5 ºC), a vacinação deve ser adiada até que ocorra a melhora.

Pessoas com doenças que aumentam o risco de sangramento ou em uso de anticoagulantes, a aplicação intramuscular pode ser substituída pela subcutânea.

Quando há dor e vermelhidão no local da aplicação, compressas frias aliviam a reação no local . Em casos mais intensos pode ser usada medicação para dor, sob indicação médica.

Qualquer sintoma grave e/ou inesperado após a vacinação deve ser notificado ao serviço que a realizou.

Efeitos e eventos adversos:

  • Em crianças, ocorrem em mais de 10% dos vacinados: sonolência e reações no local da aplicação (dor, vermelhidão e inchaço). Entre 1% e 10% dos vacinados podem apresentar perda de apetite, irritabilidade, dor de cabeça e febre acima de 37,5ºC. Entre 0,1% a 1%: aumento dos gânglios, sono inquieto, apatia, garganta seca, diarreia, vômito, dor abdominal, náusea e cansaço.
  • Em adolescentes e adultos, ocorrem em mais de 10% dos vacinados: dor de cabeça, reações no local da aplicação (dor, vermelhidão e inchaço) e cansaço. Entre 1% a 10% dos vacinados: distúrbios gastrintestinais, febre acima de 37,5ºC, hematoma no local da aplicação. Entre 0,1% e 1% dos vacinados ocorrem: aumento dos gânglios, diminuição do apetite, sensação de formigamento, sonolência, tontura, coceira, dor muscular, dor nas articulações, febre acima de 39ºC, calafrios.

Dra. Franciele Norma Minotto
Ginecologia, Obstetrícia e Sexologia
Diretora Técnica da Bem Estar Medicina e Saúde
CRM/MT 5962

Bem-Estar-Logotipo-em-PNG_Assinatura

Veja mais

Quais vacinas são indicadas para crianças de 0 a 10 anos?

Quais vacinas são indicadas para crianças de 0 a 10 anos?

Estima-se que isoladamente , as vacinas são as responsáveis nos últimos 2 séculos por um aumento de cerca de 30 anos  em nossa expectativa de vida.

O sarampo, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), no ano 2000 teria causado cerca de 30 a 40 milhões de casos no mundo, com 770 mil óbitos. Entre nós, foi sempre a segunda causa de morte por doença infecciosa, perdendo somente para a diarreia. Hoje, graças a vacinação, a maioria dos estudantes de medicina e dos médicos jovens nunca viu um caso de sarampo.

Veja mais

Que vacinas são indicadas para Prematuros?

Que vacinas são indicadas para Prematuros?

O parto prematuro é definido como aquele que ocorre entre a 20ª e a 37ª semanas de gravidez.  A mortalidade (risco de morte) e a morbidade (risco de ficar doente) são maiores entre os bebês prematuros. A imaturidade geral pode levar à disfunção em qualquer órgão ou sistema corporal, e o bebê prematuro também pode sofrer comprometimento no seu desenvolvimento a longo prazo.

Veja mais

Vírus da gripe continuam soltos – Influenza e a vacina da gripe em 2015

Vírus da gripe continuam soltos – Influenza e a vacina da gripe em 2015

No Hemisfério Norte verificou-se as seguintes cepas do vírus Influenza no outono/inverno 2015:  Estados Unidos da América – H3N2 e FLU B; Canadá – H3N2; Europa – H3N2,H1N1 e FLU B;  China – H7N9 (gripe aviária); Egito – H5N1 (gripe aviária) e Índia – H1N1; com predomínio do vírus Influenza H3N2.

Na formulação trivalente da vacina da gripe distribuída no inverso do Hemisfério Norte (Estados Unidos da América e Canadá) estão presentes os vírus Influenza H1N1, H3N2 (cepas Texas) e Influenza B (FLU B linhagem Yamagata).  Esta vacina apresentou pouco impacto de prevenção, pois o vírus H3N2 sofreu um “Drift antigênico”, ou seja, uma mutação do local que estimula os anticorpos neutralizantes do corpo humano, isso fez com que a vacina não atingisse o objetivo de prevenção da gripe no Hemisfério Norte.

Nos Estados Unidos da América, mais de 80% das cepas do Influenza A (H3N2) eram da cepa que sofreu o “drift antigênico; a efetividade da vacina nos EUA foi de 18% para o Influenza A (H3N2) pois a cepa da vacina era a Texas e a cepa que causou infecção era a com mutação (cepa Switzerland) e 45% para o Influenza B (FLU linhagem Yamagata).

A vacina trivalente e quadrivalente que foi formulada para o Hemisfério Sul, América do Sul (Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, etc) e Oceania contém o vírus H3N2 que sofreu a mutação, houve a troca da cepa Texas pela cepa Switzerland (cepa com mutação), assim, espera-se uma alto poder de prevenção da gripe no Hemisfério Sul.

Veja mais

Saiba como prevenir gravidez indesejada, conheça os métodos anticoncepcionais

Saiba como prevenir gravidez indesejada, conheça os métodos anticoncepcionais

A história da contracepção é longa e data da Antigüidade; no entanto, o controle voluntário da fertilidade é ainda mais importante na sociedade moderna. Desde a puberdade até a menopausa , as mulheres preocupam-se com a procriação ou com sua prevenção, as únicas opções são: abstinência, contracepção ou gravidez.

Veja mais

Sangramento no início da gravidez pode ser abortamento, o que fazer?

Sangramento no início da gravidez pode ser abortamento, o que fazer?

Conforme o Ministério da Saúde, abortamento é a interrupção da gravidez até a 20a (vigéssima) ou 22a (vigéssima segunda) semana e com produto da concepção pesando menos que 500g. Aborto é o produto da concepção eliminado no abortamento.

Veja mais

Que tipo de gravidez pode ser classificada como Gestação de Alto Risco?

Que tipo de gravidez pode ser classificada como Gestação de Alto Risco?

Gestação de Alto Risco é aquela na qual a vida ou a saúde da mãe e/ou do feto e/ou do recém-nascido têm maiores chances de serem atingidas que as da média da população considerada.

Veja mais

DIU de cobre é considerado método muito efetivo pois tem eficácia de 99,4%

DIU de cobre é considerado método muito efetivo pois tem eficácia de 99,4%

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (WHO, 1996), o DIU exerce seu efeito anti-fertilidade de forma variada e pode interferir no processo reprodutivo antes mesmo do óvulo atingir a cavidade uterina. A presença do DIU no útero promove reação inflamatória  tanto no útero como nas trompas. As alterações de pH no interior do útero interferem no transporte dos espermatozoides, dificultando a chegada deles nas trompas, onde ocorre a fecundação (união do óvulo e espermatozoide) .

Veja mais