bemestarmed.com.br crianças | Bem Estar Medicina e Saúde

Todas as publicações com crianças

Crianças entre 4 a 6 anos devem receber reforço de DTPa + Polio

Crianças entre 4 a 6 anos devem receber reforço de DTPa + Polio

A vacina DTPa+IPV (polio) contém os toxoides diftérico e tetânico (derivados das toxinas produzidas pelas bactérias causadoras das doenças), componentes da cápsula da bactéria da coqueluche (Bordetella pertussis) e vírus da poliomielite inativados (mortos) tipos 1, 2 e 3.

Está indicada:

  • Para crianças a partir de 4 anos de idade, adolescentes e adultos, para os reforços de seus esquemas de vacinação.
  • Pode substituir as formulações infantis da vacina tríplice bacteriana (DTPa e suas combinações) no reforço de 4 a 6 anos de idade
  • Para adolescentes e adultos, pode substituir a vacina dTpa e é a alternativa para viajantes com destinos às áreas de risco para poliomielite (Paquistão e Afeganistão ainda tem casos de transmissão do vírus)
  • Para gestantes, pode substituir a dTpa na indisponibilidade desta vacina ou quando se trata de gestante viajante para área de risco para a poliomielite  (Paquistão e Afeganistão)

Está contraindicada para pessoas que apresentaram anafilaxia após uso de componentes da vacina em dose anterior.

Pode substituir qualquer dose de dTPa. Em caso de viagens a locais de risco para a poliomielite (atualmente somente Paquistão e Afeganistão), pode ser aplicada mesmo em pessoas que estejam em dia com a dTpa.

Não são necessários cuidados especiais antes da vacinação; em caso de doença aguda com febre alta (acima de 37,5 ºC), a vacinação deve ser adiada até que ocorra a melhora.

Pessoas com doenças que aumentam o risco de sangramento ou em uso de anticoagulantes, a aplicação intramuscular pode ser substituída pela subcutânea.

Quando há dor e vermelhidão no local da aplicação, compressas frias aliviam a reação no local . Em casos mais intensos pode ser usada medicação para dor, sob indicação médica.

Qualquer sintoma grave e/ou inesperado após a vacinação deve ser notificado ao serviço que a realizou.

Efeitos e eventos adversos:

  • Em crianças, ocorrem em mais de 10% dos vacinados: sonolência e reações no local da aplicação (dor, vermelhidão e inchaço). Entre 1% e 10% dos vacinados podem apresentar perda de apetite, irritabilidade, dor de cabeça e febre acima de 37,5ºC. Entre 0,1% a 1%: aumento dos gânglios, sono inquieto, apatia, garganta seca, diarreia, vômito, dor abdominal, náusea e cansaço.
  • Em adolescentes e adultos, ocorrem em mais de 10% dos vacinados: dor de cabeça, reações no local da aplicação (dor, vermelhidão e inchaço) e cansaço. Entre 1% a 10% dos vacinados: distúrbios gastrintestinais, febre acima de 37,5ºC, hematoma no local da aplicação. Entre 0,1% e 1% dos vacinados ocorrem: aumento dos gânglios, diminuição do apetite, sensação de formigamento, sonolência, tontura, coceira, dor muscular, dor nas articulações, febre acima de 39ºC, calafrios.

Dra. Franciele Norma Minotto
Ginecologia, Obstetrícia e Sexologia
Diretora Técnica da Bem Estar Medicina e Saúde
CRM/MT 5962

Bem-Estar-Logotipo-em-PNG_Assinatura

Veja mais

Gestantes devem receber a vacina DTPa para proteger bebê contra coqueluche

Gestantes devem receber a vacina DTPa para proteger bebê contra coqueluche

A coqueluche é uma doença infecciosa aguda, causada por uma bactéria chamada Bordetella pertussis, de rápida proliferação. Ao penetrar no organismo, essa bactéria lesa os tecidos da mucosa do aparelho respiratório. A transmissão ocorre pelo contato direto com indivíduos que têm a bactéria colonizada em sua orofaringe (estes indivíduos podem estar doentes ou apenas serem portadores assintomáticos). A incubação da coqueluche é de 7 a 14 dias, aproximadamente, e a transmissão ocorre a partir dos primeiros sintomas até um mês depois. 

Veja mais

A vacina da gripe é para todas as idades mas no grupo alvo estão crianças maiores de 6 meses a 5 anos

A vacina da gripe é para todas as idades mas no grupo alvo estão crianças maiores de 6 meses a 5 anos

Os grupos alvo para as vacinas da gripe são: crianças de 6 meses a 5 anos, gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, maiores de 60 anos de idade, população carcerária e agentes prisionais, população indígena e portadores de doenças crônicas.

Veja mais

Vírus da gripe continuam soltos – Influenza e a vacina da gripe em 2015

Vírus da gripe continuam soltos – Influenza e a vacina da gripe em 2015

No Hemisfério Norte verificou-se as seguintes cepas do vírus Influenza no outono/inverno 2015:  Estados Unidos da América – H3N2 e FLU B; Canadá – H3N2; Europa – H3N2,H1N1 e FLU B;  China – H7N9 (gripe aviária); Egito – H5N1 (gripe aviária) e Índia – H1N1; com predomínio do vírus Influenza H3N2.

Na formulação trivalente da vacina da gripe distribuída no inverso do Hemisfério Norte (Estados Unidos da América e Canadá) estão presentes os vírus Influenza H1N1, H3N2 (cepas Texas) e Influenza B (FLU B linhagem Yamagata).  Esta vacina apresentou pouco impacto de prevenção, pois o vírus H3N2 sofreu um “Drift antigênico”, ou seja, uma mutação do local que estimula os anticorpos neutralizantes do corpo humano, isso fez com que a vacina não atingisse o objetivo de prevenção da gripe no Hemisfério Norte.

Nos Estados Unidos da América, mais de 80% das cepas do Influenza A (H3N2) eram da cepa que sofreu o “drift antigênico; a efetividade da vacina nos EUA foi de 18% para o Influenza A (H3N2) pois a cepa da vacina era a Texas e a cepa que causou infecção era a com mutação (cepa Switzerland) e 45% para o Influenza B (FLU linhagem Yamagata).

A vacina trivalente e quadrivalente que foi formulada para o Hemisfério Sul, América do Sul (Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, etc) e Oceania contém o vírus H3N2 que sofreu a mutação, houve a troca da cepa Texas pela cepa Switzerland (cepa com mutação), assim, espera-se uma alto poder de prevenção da gripe no Hemisfério Sul.

Veja mais

Carnes, peixes e frutos do mar crus ou mal cozidos podem transmitir Hepatite A

Carnes, peixes e frutos do mar crus ou mal cozidos podem transmitir Hepatite A

Hepatite A é uma doença infecciosa aguda que age diretamente no fígado, causada pelo vírus VHA  que é transmitido por via oral-fecal, de uma pessoa infectada para outra saudável, ou através de alimentos (especialmente os frutos do mar, recheios cremosos de doces e alguns vegetais) ou da água contaminada. Esse vírus pode sobreviver por até quatro horas na pele das mãos e dos dedos. A incidência da hepatite A é maior nos locais em que o saneamento básico é deficiente ou não existe.

Veja mais

Anorexia e bulimia podem causar desnutrição e baixa estatura em crianças e adolescentes

Anorexia e bulimia podem causar desnutrição e baixa estatura em crianças e adolescentes

A anorexia nervosa e a bulimia são distúrbios alimentares que afetam pessoas de todas as classes sociais. O número de casos vem aumentando entre homens e mulheres de todas as idades, mas especialmente em adolescentes do sexo feminino. Distúrbios psicológicos e psiquiátricos podem contribuir para reforçar a cultura da magreza corporal como padrão de beleza em nossa sociedade. Fatores genéticos e sociais também estão associados a esses graves distúrbios nutricionais.

Veja mais